A dicotomia nova x velha midia esta tomando ares maniqueistas, e o pior, é uma comparação que não devia nem existir, é como comparar agua e óleo. A velha midia com seu estilo tradicional e corporativo acusa a nova mídia de amadorismo, e esta compara a velha midia com os dinossauros, e por ai segue um improdutivo desenrolar de alfinetadas. Enquanto a discussão levanta poeira, um importante exercício que citei no meu último post deixa de ser feito: “Temos de correr o risco de enxergar o que não queremos ver, e com isto ganhar o precioso tempo hábil para nos reconfigurarmos e seguirmos o trem da evolução, para não sermos pegos de surpresa e sermos atropelados por ele.

É preciso levar em consideração que uma grande mudança nas relações pessoais e econômicas foi provocada pela internet. Esta mudança foi sistematizada por Chris Anderson, em seu best seller “A Cauda Longa“. A internet possibilitou uma capilaridade nunca antes vista, atingindo nichos renegados e muitas vezes totalmente desconhecidos. A principio o estudo de Anderson provocou surpresa, mostrando a todos que a cauda longa é maior do que o mainstream, e engorda cada vez mais por conta daqueles que viviam no mainstream e agora podem se juntar às suas tribos. É preciso levar em conta que a imprensa tradicional esta focando no mainstream, e que a imprensa social na cauda longa.

Existe um outro elemento importante, que é a informação, abundante no ciberespaço, é o catalizador da evolução. O crowdsourcing é a personificação desta evolução. O cidadão conectado tem pressa, muita pressa, a instantaneidade é o resultado, ele quer saber agora, o que acontece agora, quer interagir com a noticia. O Jornalismo cidadão é visto como ruído pelo público mainstream, mas é extremamente eficiente para seus apreciadores, e isto a velha mídia precisa entender e estudar.

Existem outros elementos, temos de montar um cenário complexo para entender o que acontece e principalmente montar a estratégia para a reconfiguração da mídia tradicional. Eu não acredito que ela vá morrer, acredito sim, que ela em alguns anos não será nada parecida com que vemos hoje em dia.


    7 comentários

    Yuri Almeida · 23/05/08 às 17:23

    Bons posts. Concordo quando sinaliza a importância do jornalismo colaborativo na reconfiguração dos mass media. Assinei o feed para acompanhar o blog.

    Diego Gomes · 04/06/08 às 16:45

    Cara, gostei mto da discussão do post e do blog, to assinando o RSS tb!

    Pedroom · 04/06/08 às 19:54

    Legal hein? Sendo a internet projetada pra resistir a ataque nucleares, então de nada vai adiantar os velhos lobos do mainstream media e as hienas do copyright tentarem cravar suas garras sobre a grande rede. Quanto mais eles apertarem as rédeas, mais os cidadãos conectados lhe escaparam por entre os dedos…

    Pedroom · 04/06/08 às 19:55

    Digo: “mais os cidadãos conectados lhe ESCAPARÃO por entre os dedos”.

    Lucia Freitas · 10/07/08 às 00:42

    Orgulho de te conhecer. Orgulho. Vambora fazer revolução!

    Damazio · 24/04/09 às 19:59

    A mídia desempenha função estratégica primordial enquanto máquina produtiva que legitima ideologicamente a globalização capitalista.
    Boa parte do nosso subdesenvolvimento se explica em termos culturais. Ao contrário dos anglos-saxões, que pregam a raciolanidade e a competição, nossos componetes culturais são a cultura Ibérica do privilégio, a cultura indígena da indolência e a cultura negra da magia.
    A ciência, ou melhor, a tecnologia impõe-se com a última grande utopia do capital.

    Adamazio

    Deixe uma resposta

    %d blogueiros gostam disto: